segunda-feira, 12 de julho de 2010

JORNAL DA CIDADE DE BAURU (SP)

Uma celebração a Zé do Norte.
Em “Lua Bonita”, a cantora Socorro Lira traz uma amostra daquele que conseguiu enxergar o Brasil por completo.

por Karla Beraldo, 22 de junho de 2010.

Alfredo Ricardo do Nascimento, o Zé do Norte, nasceu em Cajazeiras, sertão da Paraíba, e suas composições ficaram conhecidas por darem conta da riqueza musical do Brasil “de dentro”. Quarto volume do projeto Memória Musical da Paraíba (MMPB) de Socorro Lira, “Lua Bonita” pretende ser uma amostra do legado daquele que conseguiu enxergar o Brasil por completo.

Interpretado e produzido pela cantora e compositora, o disco em homenagem ao centenário de nascimento do Zé do Norte (1908-2008) contou com as participações especiais de Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Sandra Belê, Vanja Orico e Zé Paulo Medeiros e traz, entre outras, canções da trilha de “O Cangaceiro”, de Lima Barreto, filme responsável por tornar o compositor paraibano mundialmente conhecido.

“‘Lua Bonita’ é um retalho, um pedacinho da obra do Zé do Norte que é muito mais ampla, vasta. O que pretendemos é que o disco traga o nome desse compositor, principalmente para a juventude, que precisa ouvir uma obra que representa a identidade do povo brasileiro”, resume a artista também paraibana sobre o disco. “Lua Bonita” é composto por 12 faixas, entre elas “Mulher Rendeira”, “Balança a Rede”, “No Reino de Iemanjá”, “São Jorge e a Lua”, “Sodade, Meu Bem, Sodade” e “O Poeta”.

“Nós somos de uma mesma região e embora de épocas diferentes temos um pouco das mesmas referências musicais. E eu gosto muito dessa perspectiva presente na obra dele de um Brasil mais amplo, um Brasil de referências culturais do povo de cada lugar”, comenta. Para Socorro, se hoje tem-se a necessidade e o dever de olhar para as coisas que vêm do “interior”, é a Zé do Norte que se deve agradecer. “Em 1950, ele gravava coisas que ninguém se atreveria a gravar, porque eram coisas do pobre, do negro; aquela coisa do sambista carioca de gravar só música do morro, Zé do Norte fazia gravando as coisas do interior da Paraíba, falando do jeito que falamos lá”.

Com intuito de promover a cultura nordestina, além de “Lua Bonita”, o projeto MMPB já rendeu os CDs “Ciranda, Coco-de-Roda e Outros Cantos”, com o canto-dança da comunidade de Caiana dos Crioulos, de Alagoa Grande; “Pedra de Amolar”, em homenagem ao compositor Zé Marcolino; e “Desencosta da Parede”, também da comunidade de Caiana dos Crioulos.

Quanto aos seus trabalhos autorais, Socorro soma seis lançamentos: “Cantigas” (2001); “Cantigas de Bem Querer” (2003); “Intersecção - A Linha e o Ponto (2006)”, cujo lançamento foi realizado em Bauru, em apresentação da cantora no Sesc; “As Liras Pedem Socorro” (2007); “No Terreiro da Casa de Mãe Joana” (2009); e “Cores do Atlântico”, lançado este ano somente na Europa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você sabe sobre o cmpositor Zé do Norte?